Arquitetura, Educação, Santa Catarina

CASA COR SC 2021

“A casa original”

Um tema, e infinitas interpretações…

O interpretação do morar bem é algo pessoal e intransferível e vai mudando ao longo dos anos.

Nestes tempos de isolamento , as mudanças foram rápidas em todo mundo , com reflexos imediatos  no mercado imobiliário e de interiores. 

A casa ganhou um novo status . Nunca se passou tanto tempo nos limites do cercadinho. E por isso se investe mais no morar. 

Neste contexto,  a reabertura de Casa Cor é vista com euforia pelo público . Gastos com viagens por exemplo revertem-se para o lar. E o público precisa de referências, de informação . O que comprar ? Casa Cor é vitrine de produtos e serviços do setor . E o expositor do evento um formador de opinião . O visitante só não deve esquecer que o evento é uma espécie de passarela do DECOR . Nem tudo o que “desfila” ali serve pra vida real . 

A “revisão” de padrões de comportamento, trazida pelo período de isolamento fez surgir novos hábitos . O contato com a natureza, tornou-se essencial  . A biofilia é uma forte tendência . Uma casa que proporciona experiências sensoriais . Aí mora o novo conceito do luxo . Plantas e materiais naturais  com ênfase para madeira e pedras se fazem presente neste cenário  . O toque das texturas , um bom algodão por exemplo , o cheiro das plantas e flores, sentir a brisa passando pela, curtir a luz natural atravessando as aberturas … se vê tudo isto em Casa Cor 

O resgate da brasilidade  e de memórias afetivas é outro viés do evento . Artesanato nacional, palha, cestaria, crochê, cerâmica e tons terrosos surgem com força.  Num passeio pela mostra , alguns ambientes  me fizeram lembrar a casa daquele tiozão universitário dos anos 80 que era meio hippie / socialista  (e quem não teve tio assim? ) outros resgatam o clima da casa da vovó.  Gosto não se discute (já dizia o fã de sushi de frango catupiry), mas senti aqui e ali um clima meio “força barra” no retrô. 

Muita calma nesta hora. Risco eminente de deixar a casa com cara de feira de artesanato nordestino.  Gosta de tons terrosos ?  Sim , estão em alta. Pinte as paredes, é barato  . Compre um filtro de barro, é barato, ecológico e dizem que também é saudável .  

Enfim não quero ser tendenciosa, mas  apostar muitas fichas na tendência do momento é arriscado !  Digo isso com respaldo de mais de 20 anos acompanhando de perto e reportando as novidades  do setor em projetos e eventos. Algumas tendências são tão voláteis que não duram uma temporada . O que vem na sequência?  Quebradeira de piso e descartes de toda natureza. 

Equilíbrio , pluralidade e um certo senso conservador  dão grandes chances de estender o prazo de validade de um projeto de interiores . Olha eu aqui recomendando cautela de novo … é a tal maturidade adquirida ao longo dos anos (além de jornalista sou consumidora de arquitetura e design, viciada em obra).  

Nem oito, nem oitenta. É preciso reinventar-se . O ineditismo faz o olho brilhar . Por outro lado, não é preciso reinventar a roda. Falar em misturar rústicos e contemporâneos, novos e antigos parece um texto meio desgastado ? (Um diretor da Band TV sempre brincava com este meu texto recorrente) . Certo é que quem mistura estilos  costuma encontrar o caminho do atemporal . 

Por Gisela Santos, Jornalista na Buzz Florianópolis.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...